Amor incondicional de Deus

“Quando orares, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo; e teu Pai, que vê num lugar oculto, recompensar-te-á.”

Mateus 6:6

 

 

Tenha a coragem de abrir-se ao amor incondicional de Deus

Amor incondicional

Pode parecer vago ou até muito relativa a afirmação de que “Deus é Amor”, mas essa afirmação não se encerra em si, trata-se de um convite para embarcar em uma grande aventura. Se pararmos no texto da primeira carta de São João, e a partir dela pensar que já descobrimos quem é Deus, corremos o risco de viver no relativismo, pois se Deus é amor, e isso basta para entendê-Lo, vou defini-Lo segundo a minha visão do amor. Frequentemente, a definição que se tem do amor é imatura e egoísta, ou seja, não é verdadeiramente o Deus/Amor conforme nos aponta São Paulo em Coríntios 13,1-13.

A declaração de João – “Deus é amor” – é um convite do Senhor a um caminho de descoberta. Ele deseja que nos aventuremos nessa jornada em busca do amor, porque só conhecendo profundamente o que é o amor, conheceremos quem é Deus.

“O amor me explicou todas as coisas”. Essa frase célebre de São João Paulo II expõe a experiência profunda que, ainda na sua juventude, ele fez com o amor de Deus. O santo, durante sua vida, buscou revelar ao mundo a beleza que é aventurar-se no amor do Pai, e é exatamente isso que a afirmação “Deus é amor” nos porta, um convite a trilhar uma aventura esplêndida de conhecimento do Senhor e conhecimento pessoal.

A Palavra nos direciona

O livro Imitação de Cristo, pg 206, define os efeitos que essa aventura traz para o homem: “Quem ama corre, voa, vive alegre, é livre e nada o embaraça”. E ainda: “Só quem ama é que pode compreender a voz do amor”. Sim, o amor tem voz, tem vontade, tem gestos, por que Deus é amor. É impossível conhecê-Lo de outra forma que não seja pelo amor, é impossível conhecer o verdadeiro amor se não o conhecermos em Deus.

É uma grande aventura repleta de conhecimento e descobertas, onde tocamos em um Deus amor e no amor de Deus. Não se trata somente de um jogo de palavras, é uma máxima que a Bíblia nos revela; mais ainda, diria que é uma direção que a Palavra de Deus nos aponta.

O homem que não experimenta o amor de Deus torna-se incapaz de amar verdadeiramente. Aqui tratamos de uma experiência concreta de amor filial, que só na presença do Senhor podemos tocar. No livro de Isaías, cap 49,15, o autor sagrado faz uma comparação do amor de Deus com o amor de uma mãe por seu filho: “Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca”.

Amor incondicional

“Eu não o esqueceria nunca.” É assim que o Senhor nos ama, um amor eterno (cf. Jeremias 31,3). Um amor concreto, que se manifesta no dia a dia, que nos conduz nos momentos de trevas e nos auxilia nas tribulações. A grande ausência que se manifesta na atualidade é a ausência do amor de Deus; não porque Ele parou de nos amar, mas porque nós não encaramos a aventura de conhecer esse território do amor.

O Senhor nos criou para o amor, e Seu desejo é nos conduzir pelas vias do amor. Diante de tantos discursos de ódio, divisões, brigas pelo poder e destruição da dignidade do homem, Ele quer que Seus filhos experimente com mais e mais clareza o amor, uma energia que nos leva adiante, mesmo com diferenças; é a ponte que liga as pessoas, mesmo com discordâncias.

O Senhor nos convida, hoje, a irmos mais adiante nessa jornada de conhecimento do amor. É uma jornada em direção a Ele, em direção ao nosso próximo e a nós mesmos. Só conhecendo profundamente o amor do Pai conheceremos Deus, conheceremos a nós mesmos e, enfim, contribuiremos para uma sociedade justa e unida. Abra-se ao amor.

https://formacao.cancaonova.com

” Segurava-os com laços humanos, com laços de amor”
(Oséias, 11,4)

PARTILHA

Este amor incondicional, nos leva a desejar corresponder…

Mas as vezes parece que andamos , andamos e não saímos do lugar.

E recordamos logo das penitencias e mortificações do santos. Percebendo como somos frágeis e omissos, distraídos na correria deste mundo agitado.

Fui em busca de conhecimento. O que seria a penitencia e mortificação nos dias de hoje? Encontrei algumas formações para entender melhor, modos de agradar o coração de Jesus.

(Sol)

A Igreja ensina e estimula o católico a praticar o jejum, a oração e a esmola. Essas três formas de penitência são um remédio para o combate das doenças espirituais, sendo que o jejum auxilia no combate à gula, a oração no combate ao orgulho e à soberba, e a esmola no combate à avareza. São exercícios que, se feitos com seriedade, têm a capacidade de arrancar o cristão católico das garras do relativismo que domina o mundo atualmente.

Penitencia é colocar limites em nós mesmos. (Padre Paulo Ricardo)

CIC §1434 As múltiplas formas da penitência na vida cristã A penitência interior do cristão pode ter expressões bem variadas. A escritura e os padres insistem principalmente em três formas: o jejum, a oração e a esmola, que exprimem a conversão com relação a si mesmo, a Deus e aos outros. Ao lado da purificação radical operada pelo batismo ou pelo martírio, citam, como meio de obter o perdão dos pecados, os esforços empreendidos para reconciliar-se com o próximo, as lágrimas de penitência, a preocupação com a salvação do próximo, a intercessão dos santos e a prática da caridade, “que cobre uma multidão de pecados” (1Pd 4,8).

Mortificação tempos atuais: 

Querer ser esquecido e desprezado por amor a Nosso Senhor Jesus Cristo: Pati et contemni pro Te. Será uma renúncia diária, descoberta apenas aos olhos do Pai, em que os sofrimentos involuntários se veem como uma visita amorosa de Deus. Será, enfim, um martírio continuado, às “alfinetadas”, pois quem não quer vencer o orgulho que lateja dentro de si, pela abnegação dos próprios caprichos e critérios, jamais se santificará, por maiores que sejam as mortificações

São João da Cruz, diz que mortificação é sofrer e ser desprezado por causa de Jesus.  (São João da Cruz)

 

Encontrei ensinamentos de minha santinha preferida, que enfeita seus ensinamentos com palavras doces.
Ah! como o sofrimento tem encantos,
Quando, com flor, se sabe disfarçá-lo!
(santa Teresinha)

Santa Teresinha do Menino Jesus Minha Alegria

 

Há almas na terra
Que em vão procuram a felicidade;
Entretanto, comigo dá-se o contrário:
Trago no coração sempre a alegria
E não é uma alegria passageira;
Eu a trago comigo a todo instante!
Como uma rosa em plena primavera,
Ela sorri para mim dia após dia.

Sim, sou feliz, sou feliz demais,
Pois faço sempre aquilo que bem quero…
Como deixar, então, de ser alegre
Ou deixar de mostrar minha alegria?…
Minha felicidade é amar a dor
E sorrir, mesmo enquanto o pranto escorre;
Aceito, com a mesma gratidão,
Flores entrelaçadas com espinhos.

Quando meu céu azul se torna escuro,
Quando tudo parece abandonar-me,
Minha alegria é ficar na sombra,
Esconder-me e rebaixar-me.
Minha alegria é a vontade sagrada
De Jesus Cristo, meu único amor.
Assim vivo sem nenhum temor
E amo igualmente o dia como a noite.

Minha alegria é sempre ser pequena.
E assim, se às vezes caio no caminho,
Posso me levantar bem depressa.
Jesus Cristo me pega pela mão.
Cobrindo-O, então, todo de carícias,
Digo que Ele é tudo para mim.
Se acaso Ele se esconde de minha fé,
Aí é que redobro meus carinhos.

Se, às vezes, derramo algumas lágrimas,
O meu prazer consiste em escondê-las.
Ah! como o sofrimento tem encantos,
Quando, com flor, se sabe disfarçá-lo!
Desejo sofrer sem dizer nada
Para consolar Jesus desta maneira.
Minha alegria é ver Seu sorriso,
Enquanto o coração tenho no exílio…

Minha alegria é viver lutando,
Gerando, assim, eleitos para o céu
E, coração ardendo de ternuras,
Repetir a Jesus continuamente:
“Por Ti, meu Irmãozinho divinal,
Eu me sinto feliz no sofrimento
E minha única alegria neste mundo
É só poder sempre alegrar-Te.

Quero viver ainda muito tempo,
Meu Senhor, se esta for Tua vontade,
E quisera, depois, seguir-Te ao céu,
Se isto também Te causa algum prazer.
Esta chama de amor que vem da Pátria
Não deixa nunca de me consumir!
Pouco me importa a morte ou mesmo a vida:
Jesus, minha alegria é Te amar”!

Dezembro de 1896

 

 

Haaa, Jesus, me ensina…
a aprender como santa Teresinha,
a esconder sofrimentos com flores!
Tenho medo, da vida passar, e me encontrar apenas parada meditando e contemplando seu amor.
Usa-me Senhor!
(Sol)
PARTILHA
A alguns dias, inquieta na missa depois que comunguei, me sentindo o nada do nada. Desejando fazer mais, e sentindo fazer sempre menos. Veio ao meu coração um bebe no útero, dependente a viver pelo cordão umbilical. E rezei: Jesus estou presa a ti, te necessito, forma-me purifica-me, para que possa agradar seu coração. Que o pecado, não me afaste de ti como a um aborto! Eu quero nascer para ti!
(Sol)

Eu sou a menina dos olhos de Deus

Não sou definido pelo que passou

Eu tenho um dono, Jesus é o meu Senhor

Da minha dor, uma pérola formou

Sou diamante bruto lapidado no amor

Eu digo sim a Deus, eis-me aqui

Quero viver os Teus sonhos

Eu renuncio tudo que me afasta de Ti

Quero viver os Teus sonhos

Eu digo sim a Deus, eis -me aqui

Quero viver os Teus sonhos

Eu renuncio tudo que me afasta de Ti

Quero viver os Teus sonhos

Anúncios