Arquivo da tag: João Paulo

Olha que Eu estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, Eu entrarei na sua casa e cearei com ele e ele comigo.’


FORMAÇÃO
Padre Evaristo Debiasi

Jesus_bate_a_porta
 
Primeira leitura: Apocalipse 3, 1-6.14-22
 
Eu, João, ouvi o Senhor que me dizia:«Ao anjo da igreja de Sardes, escreve: “Eis o que diz Aquele que tem os sete espíritos de Deus e as sete estrelas: ‘Conheço as tuas obras; tens fama de estar vivo, mas estás morto.
Sê vigilante e fortifica aquilo que está a morrer, pois não encontrei perfeitas as tuas obras, diante do meu Deus.
Recorda, portanto, o que recebeste e ouviste. Guarda-o e arrepende-te. Pois se não estiveres vigilante, virei como um ladrão, sem que saibas a que hora virei ter contigo.
No entanto, tens em Sardes algumas pessoas que não mancharam as suas vestes; esses caminharão comigo, vestidos de branco, pois são dignos disso.
Assim, o que vencer andará vestido com vestes brancas e não apagarei o seu nome do livro da Vida, mas o darei a conhecer diante de meu Pai e dos seus anjos.’
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.»
Ao anjo da igreja de Laodiceia, escreve: «Isto diz o Ámen, a Testemunha fiel e verdadeira, o Princípio da Criação de Deus:
‘Conheço as tuas obras: não és frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente.
Assim, porque és morno – e não és frio nem quente – vou vomitar-te da minha boca.
Porque dizes: ‘Sou rico, enriqueci e nada me falta’ – e não te dás conta de que és um infeliz, um miserável, um pobre, um cego, um nu – aconselho-te a que me compres ouro purificado no fogo, para enriqueceres, vestes brancas para te vestires, a fim de não aparecer a vergonha da tua nudez e, finalmente, o colírio para ungir os teus olhos e recobrares a vista.
Aos que amo, eu os repreendo e castigo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te.
Olha que Eu estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, Eu entrarei na sua casa e cearei com ele e ele comigo.’
Ao que vencer, farei que se sente comigo no meu trono, assim como Eu venci e estou sentado com meu Pai, no seu trono.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.»

Palavra do Senhor.

jesusbateporta3

Meditando a palavra.
 
Sempre apresento Jesus, com a imagem da porta.
Dizendo que a porta do nosso coração, tem fechadura somente do lado de dentro.
Jesus bate na porta, mas somente nós podemos abri-la. Ele não arromba a porta,
não entra sem a nossa vontade!
 
“Abri as portas a Cristo!”
(São João Paulo II)
 
 
 

joaopaulo

 

 

 

Sao Joao M VianneyComentário do dia
São João Maria Vianney (1786-1859), presbítero, cura de Ars
Sermão para o terceiro domingo depois de Pentecostes

«O Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido»

Não contente em nos chamar a Si pela sua graça, e nos fornecer todos os meios para nos santificarmos, vede como Jesus Cristo corre atrás das suas ovelhas perdidas; vede como percorre as cidades e os campos para as procurar e as trazer para o local da sua misericórdia. Vede como deixa os seus apóstolos para ir ao encontro da Samaritana no poço de Jacó, aonde sabia que ela viria (Jo 4,6ss). […] Vede-O em casa de Simão, o leproso: não é para comer que lá vai, é porque sabia que ali viria uma Madalena pecadora (Mc 14,3ss). […] Vede-o tomar a estrada para Cafarnaum, para ir ao encontro de outro pecador no seu ofício, Mateus, e para fazer dele um apóstolo zeloso (Mt 9,9).
zaqueu jz-2a42Perguntai-Lhe porque tomou a estrada para Jericó: Ele vos dirá que há um homem chamado Zaqueu, que é considerado um pecador público, e que Ele quer ir ver se pode salvá-lo. Para fazer dele um arrependido perfeito, faz como um bom pai que perdeu o filho, e chama-o: «Zaqueu, desce daí; porque hoje quero ficar em tua casa. Acabei de te conceder uma graça.» É como se lhe dissesse: «Zaqueu, deixa esse orgulho e esse apego às coisas deste mundo; desce, escolhe a humildade e a pobreza.» Para tornar isto claro, disse aos que estavam com ele: «Hoje chegou a salvação a esta casa.» Ó meu Deus! Como é grande a vossa misericórdia para os pecadores! […]
Depois de tudo o que vemos que Jesus Cristo fez para nos salvar, como podemos desesperar da sua misericórdia, uma vez que a sua maior alegria é perdoar-nos? Assim, por muitos que sejam os nossos pecados, se queremos deixá-los e arrepender-nos deles, temos a certeza do perdão.

http://evangelhoquotidiano.org

 

zaqueu1

 

 

 

 

Abri as portas a Cristo – Hino ao Beato João Paulo II

 

joao-paulo-segundo-004

Abri as portas a Cristo!

Dom Murilo S.R. Krieger
Arcebispo de São Salvador da Bahia (BA) e Primaz do Brasil

No dia 22 de outubro passado, celebrou-se pela primeira vez o dia de S. João Paulo II, canonizado pelo Papa Francisco em abril último. Normalmente, para se celebrar a memória de um santo escolhe-se o dia do seu falecimento – dia da sua entrada na vida eterna. No caso desse Papa, foi escolhido o dia em que, em 1978, ele começou seu longo pontificado. Para conhecer o coração de S. João Paulo II, vale lembrar o que ocorreu numa noite, quando ele trabalhava com um grupo de colaboradores. Um deles lhe observou a necessidade de ele ir descansar, pois sua agenda, no dia seguinte, seria muito pesada. A resposta saiu rápida: “Mais do que de gente sadia, Deus precisa de santos!” Ao falar a um grupo de bispos, já havia dito que “a santidade é efetivamente a condição necessária para que nosso ministério seja frutuoso. É nossa união com Jesus Cristo que determina a credibilidade de nosso testemunho do Evangelho e a eficácia sobrenatural de nossa atividade”.

O 264º sucessor de Pedro, filho de operários, nascido em Wadowice, perto de Cracóvia-Polônia, foi, sem dúvida, uma pessoa singular. Menino, Karol Woytyla gostava de jogar futebol. Adulto, foi ator e dramaturgo; fez seus estudos sacerdotais clandestinamente, durante a ocupação nazista. Ordenado sacerdote em 1946, doutorou-se em filosofia e moral, foi ordenado bispo em 1958 e tornou-se cardeal em 1967.

S. João Paulo II foi o primeiro pontífice não-italiano em 455 anos. Seu pontificado se caracterizou pelo esforço de anunciar Jesus Cristo a todos. Não contente com os eventos de evangelização que presidia no próprio Vaticano, viajava pelo mundo inteiro, para proclamar a Palavra, insistindo nisso oportuna ou inoportunamente, sem a preocupação de saber se estava ou não agradando (cf. 2Tm 4). Para confirmar isso, vale lembrar o que falou em alguns países sul-americanos: no Uruguai, país de baixíssima taxa de crescimento populacional, lembrou o valor da criança no coração da família. No Peru, agitado por guerrilhas, criticou os que usavam da violência para alcançar o poder. Na Bolívia, condenou os que se enriqueciam com o tráfico de drogas. E no Paraguai, dominado por uma ditadura, insistiu na importância da democracia e na necessidade de serem respeitados os direitos humanos.

João Paulo II queria que os católicos soubessem dar, aos que lhes pedissem, as razões de sua esperança (cf. 1Pe 3,15). Por isso, providenciou a elaboração do famoso “Catecismo da Igreja Católica” que, como ele mesmo definiu, foi “um dom precioso para as comunidades”. Catequista itinerante, procurava falar na língua do povo que o recebia. Se os idiomas que dominava não eram suficientes para se fazer entender, não desistia: fazia discursos e homilias em dialetos. Foi assim que conseguiu se comunicar tanto com os habitantes de uma desconhecida ilha do Pacífico como com os índios da Bolívia. Entendia que o pastor, uma vez que devia conhecer suas ovelhas, precisava também comunicar-se com elas.

Ao iniciar seu ministério, dirigiu-se ao mundo todo com um caloroso pedido: “Abri as portas a Cristo; abri amplamente os corações a Cristo; escancarai as portas a Cristo!” Ao longo de seu pontificado de quase 27 anos, S. João Paulo II renovou esse apelo muitas vezes. Sofria ao ver inúmeras portas fechadas a seu Senhor e Mestre. Sofria, também, ao ver que não poucos trabalham tenazmente para tirar do coração dos homens qualquer ideia religiosa.

papa-joao-paulo-ii com ostensórioJá nos últimos anos de sua vida, carregado numa cadeira-móvel, continuava sua missão de confirmar seus irmãos na fé (cf. Lc 22,32). Quando sua voz se tornou inaudível, passou a entregar por escrito sua mensagem aos que o visitavam.O importante, para ele, era ensinar, evangelizar, catequizar. Aceitava com tranquilidade o fato de Deus se utilizar da fragilidade humana para transmitir suas riquezas. Trabalhou, sem descanso, até o final de sua vida.

Particularmente nós, que tivemos a alegria de conhecê-lo pessoalmente, não podemos ficar indiferentes diante de seu testemunho tão eloquente.

http://www.cnbb.org.br

 

 

 

Apocalipse 3
 
18Dou-te um conselho: compra de mim ouro purificado no fogo, para ficares rico, e vestes brancas, para vestires e não aparecer a tua nudez vergonhosa; e compra também um colírio para curar os teus olhos, para que enxergues. 19Eu repreendo e educo os que eu amo. Esforça-te, pois, e converte-te. 20Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa e tomaremos a refeição, eu com ele e ele comigo.
 
 

orar perdãoimages

Orando
Dai-nos Senhor a graça da obediência e da atenção aos seus ensinamentos.
A certeza que nos espera no confessionário, para nos vestir das vestes brancas de sua misericordia sobre nossa vida.
Abre nossos olhos aos mistérios da santa missa,
onde vens ao nosso encontro.
Tira de nós a cegueira, que nos impede de encontra-lo nos pobres e excluídos.
Livra-nos do orgulho e das vaidades, para acolhermos com amor, o momento da prova e da dificuldade.
Onde nos formas para sermos pessoas melhores.
Que nossa porta esteja sempre aberta
a sua vontade em nossa vida.
Vem senhor Jesus, entra em nossa casa,
e traz a virgem Maria contigo.
Para que ela oferte como fez Madalena,
como perfume derramado tudo o que temos e que somos.
 
TOTUS TUUS EGO SUM MARIAE
ET OMNIA MEA TUA SUNT
(Sou todo teu, Maria, e tudo o que é meu é teu)
 
(Sol)
 
 

totus tuus

 

 

Formação, padre Paulo Ricardo.
 
 
sacerdote

OREMOS  PELOS SACERDOTES!

Que Deus tenha misericordia de nossa igreja!
Nestes dias tenho percebido a realidade, de um sacerdote, que forma os fieis, como se a missa fosse uma musica alegre, euforia, gritos, danças e palmas.
E os fieis, escolhem no dia de domingo, viverem uma celebração da palavra alegre, a uma missa tradicional!
Tem misericordia Senhor, dos pastores que estão a perder o rebanho, que foi confiado a eles.
Amem!

interrogacao

A MISSA E A CELEBRAÇÃO DA PALAVRA SÃO A MESMA COISA?

Vejamos o que nos ensina o documento REDEMPTIONIS SACRAMENTUM :
 
“«Quando falta o ministro sagrado ou outra causa grave fez impossível a participação na celebração eucarística»,
o povo cristão tem direito a que o Bispo diocesano, quando possível, procure que se realize alguma celebração dominical para essa comunidade, sob sua autoridade e conforme às normas da Igreja.
Por isso, esta classe de Celebrações dominicais especiais, devem ser consideradas sempre como absolutamente extraordinárias. Portanto, quer sejam diáconos ou fiéis leigos, todos os que têm sido encarregados pelo Bispo diocesano para tomar parte neste tipo de Celebrações, «considerarão como mantida viva na comunidade uma verdadeira “fome” da Eucaristia, que leve a não perder ocasião alguma de ter a celebração da
 
Missa, inclusive aproveitando a presença ocasional de um sacerdote que não esteja impedido pelo direito da Igreja para celebrá-la” (nº 164) – O que podemos aprender nesse trecho? Primeiramente que quando se é IMPOSSÍVEL que se tenha um padre para celebrar a Santa Missa, o povo tem o DIREITO de que se tenha pelo menos a Celebração da Palavra. Amém?
 
Em segundo lugar, vemos que em contrapartida essas celebrações dominicais são ABSOLUTAMENTE EXTRAORDINÁRIAS. Ou seja, não podem ser tidas como ordinárias, normal, “é a mesma coisa da Missa”, não!
Em outras palavras: que se tenha celebração da Palavra até que se resolva o problema. E principalmente, que se resolva o problema. Graças a Deus, na Paróquia em que participo, e creio eu que na diocese como o geral, não se tem tanto essa questão de “largar de mão”. Sempre buscam padres de fora, mas nem sempre é possível. Entretanto, falha na questão de alertar para quem participa, que os que podem procurar outra paróquia, não só podem, mas devem fazer isso para cumprir o preceito.
 
– E em terceiro lugar nós vemos que no nº 164 deste documento nos alerta que deve-se levar o povo a não perder ocasião alguma de ter a celebração da Missa. É o que já foi dito: buscar trazer padres de fora que tenham a disponibilidade; ou no caso de quem puder, procurar outra Paróquia. Nunca é lícito uma pessoa que tenha condições deixar de ir a Santa Missa achando que basta a celebração.
 
MISSA 0530-1bNa mesma linha o número 165 do mesmo documento nos alerta: “É necessário evitar, diligentemente, qualquer confusão entre este tipo de reuniões e a celebração eucarística.” E no 166 (destaque nosso): “Assim mesmo, o Bispo diocesano, a quem somente corresponde este assunto, não conceda com facilidade que este tipo de Celebrações, sobretudo se entre elas se distribui a sagrada Comunhão, revivendo-se nos dias feriais e, sobretudo, nos lugares onde o domingo precedente, ou o seguinte, se tem podido ou se poderá celebrar a Eucaristia.
 
Roga-se vivamente aos sacerdotes que, ao ser possível, celebrem diariamente a santa Missa pelo povo, em uma das igrejas que lhes têm sido confiadas.” – E falando sobre outras celebrações, até encontros de orações ecumênicos, o referido documento faz o mesmo alerta: “vigiem os pastores para que entre os fiéis católicos não se produza confusão sobre a necessidade de participar na Missa de preceito, também nestas ocasiones, a outra hora do dia” (nº 167)
 
É válido lembrar que eu entendo a necessidade pastoral em alguns casos. No entanto, fica aqui a crítica em relação a avisar ao povo a diferença.
 

http://catolicoargrade.blogspot.com.br/2014/01/a-missa-e-celebracao-da-palavra-e-mesma.html

 

 

pio missa

 

 

 

Alma de Cristo

Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do lado de Cristo, lavai-me.
Paixão de Cristo, confortai-me.
Ó bom Jesus, ouvi-me.
Dentro das Vossas Chagas, escondei-me.
Não permitais que de Vós me separe.
Do espírito maligno, defendei-me.
Na hora da minha morte, chamai-me.
E mandai-me ir para Vós,
para que Vos louve com os Vossos Santos,
por todos os séculos. Amen.

terça feira

Anúncios