PRESENÇA REAL

Presença Real

Não posso enxergá-lo mas sei que estás aqui
Eu sinto Tua presença Senhor
Os teus anjos passeiam aqui neste lugar
Não cansam de louvá-lo Jesus

Unido aos anjos eu quero adorá-lo
Minh’alma se alegra louvando a Deus
Meu entendimento não pode explicar
Neste momento eu vivo o céu

 

“Esta presença chama-se ‘real’, não por exclusão, como se as outras não fossem ‘reais’, mas por antonomásia, porque é substancial, quer dizer, por ela está presente, de fato, Cristo completo, Deus e homem. Erro seria, portanto, explicar esta maneira de presença imaginando uma natureza ‘pneumática’, como dizem, do corpo de Cristo, natureza esta que estaria presente em toda a parte; ou reduzindo-a a puro simbolismo, como se tão augusto sacramento consistisse apenas um sinal eficaz ‘da presença espiritual de Cristo e da sua íntima união com os fiéis, membros do Corpo Místico’.” (DH 4412) Paulo VI

 

Deixe-me beber da água que jorra da Tua fonte
Quero matar minha sede, ó Jesus
Como suspira a corça pelas correntes das águas
Assim minh’alma suspira ó Deus por Ti.

Faz-me repousar, faz-me repousar
No Teu Espírito, no Teu Espírito.

 

A LITURGIA DA SANTA MISSA

MissaeO Santo Sacrifício da Missa é a perpetuação do Drama divino do Calvário. Jesus Cristo, Deus e Homem, padeceu e morreu por minha causa, pela minha salvação. O drama redentor do Calvário é pois, o meu drama. Neste drama se distinguem seis atos principais, nos quais procurarei tomar parte, associando-me ao Sacerdote celebrante que realiza o Santo Sacrifício em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, Sumo Sacerdote:

1.º) Rezar. (Desde o início da Missa até a Epístola). __ É a voz do homem que fala a Deus.

2.º) Escutar. (Desde a Epístola até o fim do Evangelho). __ É a voz de Deus que fala ao homem.

3.º) Oferecer. (No Ofertório, o Sacerdote oferece, a Deus, a Hóstia que vai ser consagrada). __ Oferecer-me-ei também a Deus Pai, em união com Jesus Cristo, a Vítima divina do altar.

4.º) Sacrificar. (O Sacerdote, consagrando o Pão e o Vinho separadamente, significa a efusão do Sangue sofrida por Jesus na sua Paixão e Morte redentora). __ Aceitarei resignadamente os sofrimentos e sacrifícios de cada dia, unindo-o ao sacrifício de Jesus, na Santa Missa.

5.º) Comungar. (A Comunhão é o complemento natural da Consagração, do sacrifício. A Vítima divina da Nova Lei, depois de imolada, deve ser comungada). __ Pela Santa Comunhão, a participação do fiel ao Santo Sacrifício da Missa se realiza plenamente.

6.º) Agradecer. Depois da Comunhão e já ao final do Sacrifício, o Sacerdote reza a oração chamada Pós-comunhão, agradecendo a Deus os benefícios recebidos no Santo Sacrifício da Missa.

https://saopio.wordpress.com

missa renuncio

“A SANTA MISSA SEGUNDO OS SANTOS”

missa ...images

A santa Missa é o sacrifício do corpo e do sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, oferecido em nossos altares, em memória do sacrifício da Cruz. O Santo sacrifício da Missa é oferecido:

  1. Para adorar e glorificar a Deus;
    2. Para agradecer a Deus os benefícios recebidos;
    3. Para obter de Deus o perdão dos pecados
    4. Para pedir a Deus graças e favores

Para tanto há testemunhos de verdadeiros católicos que deram muito valor a Santa Missa:

Santo Agostinho-oracao-do-jovem2“Na hora da morte, as Missas, às quais tiveres assistido, serão a tua maior consolação. Um dos fins da Santa Missa é alcançar para ti o perdão dos teus pecados.
Toda Missa implora o teu perdão junto da justiça divina.
Em cada Santa Missa, pois podes diminuir a pena temporal devida aos teus pecados – pena essa que será diminuída na proporção do teu fervor. Será ratificada no céu a benção, que do sacerdote receberes na Santa Missa.
Assistindo a Santa Missa com devoção, prestas a maior das honras à Santa Humanidade de Jesus Cristo.
Ele se compadece de muitas das tuas negligências e omissões.
Perdoa-te os pecados veniais não confessados, dos quais, porém, te arrependes; preserva-te de muitos perigos e desgraças que te abateriam.
Diminui o império de satanás sobre ti mesmo.
Sufraga as almas do Purgatório da melhor maneira possível.
Uma só Missa a que houveres assistido em vida, será mais salutar que muitas a que os outros assistirão por ti depois da morte, pois pela Missa participas da Paixão, morte e Ressurreição de Cristo.”
(Santo Agostinho)

“Cada Missa à que assistires, alcançar-te-á no céu maior grau de glória. Será abençoado em teus negócios pessoais e obterás as graças que te são necessárias. Nosso Senhor Jesus Cristo nos concede tudo o que Lhe pedimos na Santa Missa; e o que mais vale é que nos dá ainda o que nem sequer cogitamos pedir-Lhe e que, entretanto, nos é necessário.”
(São Jerônimo)

“Todas as Missas tem um valor infinito, pois são celebradas pelo próprio Jesus Cristo com uma devoção e amor acima do entendimento dos anjos e dos homens, constituindo o meio mais eficaz, que nos deixou Nosso Senhor Jesus Cristo, para a Salvação da humanidade”.
(São Matildes)

“Nenhuma língua humana pode exprimir os frutos de graças, que atrai o oferecimento do Santo Sacrifício da Missa”.
(São Lourenço)

Tomas de Aquino 001“O martírio não é nada em comparação com a Santa Missa. Pelo martírio, o homem oferece a Deus sua vida; na Santa Missa, porém, Deus dá o seu Corpo e o seu Sangue em sacrifício para os homens. Se o homem reconhecesse devidamente esse mistério, morreria de amor. A Eucaristia é o milagre supremo do Salvador; é o Dom soberano do Seu amor.”
(São Tomaz de Aquino)

“Agradecemos, pois, ao Divino Salvador por ter-nos deixado este meio infalível de VIANEI (2)atrair sobre nós ondas da Divina Misericórdia.
A Santa Missa é uma embaixada à Santíssima Trindade de inestimável valor; é o próprio Filho de Deus que a oferece.
Se conhecêssemos o valor do Santo Sacrificio da Missa que zêlo não teriamos em assistir a ela!”
(São João Maria Vianney, o Cura Dars)

“A Santa Missa é o presente mais precioso e mais agradável que podemos oferecer à Santíssima Trindade; vale mais que o céu e a terra; vale o próprio Deus”.
(Ven. Martinho de Cochem)

sao francisco contempla St_Francis_of_Assisi_CNA_US_Catholic_News_3_22_13“Sinto-me abrasado de amor até o mais íntimo do coração pelo santo e admirável Sacramento da Santa Missa e deslumbrado Por essa clemência tão caridosa e tão misericordiosa de Nosso Senhor, a ponto de considerar grave falta, para quem podendo assistir uma missa, não o faz”.
(São Francisco de Assis)

“Fica sabendo, ó cristão, que mais se merece em ouvir devotamente uma só Missa do que distribuir todas as riquezas aos pobres e peregrinar toda a terra.
Toda Santa Missa diminui teu purgatório.”
(São Bernardo)

“A Santa Missa é a obra na qual Deus coloca sob os nossos olhos todo o amor que Ele nos tem; é de certo modo, a síntese de todos os benefícios que Ele nos faz.”
(São Boaventura)

“A Missa é o sol da Igreja.”
(São Francisco de Sales)

“Após a consagração, eu tenho visto esses milhares de Anjos formando a corte real de Jesus, em volta do tabernáculo, eu os tenho visto com meus próprios olhos.”
(São João Crisóstomo)

Sta. Matilde derrama em fervor sua alma de fogo: “Ó bom Deus, eu queria, que a cada momento, e sem cessar, milhares de coros de anjos te louvassem e adorassem…
Queria ter tantos corações quantas estrelas há no céu, quantos folhas há nas árvores, quantas gotas d’água há nos mares do mundo, a fim de amar-te sem cessar…”
Apareceu-lhe Jesus dizendo: “Toda essa honra podes preparar-me, e mais ainda do que desejas”.
Um momento de “suspense”. “Como?” E com olhos ardentes aguarda a resposta.
Jesus responde: “É só assistir à Santa Missa.” E de braços abertos sobre o altar, Jesus faz correr seu sangue de todas as chagas: “Eis as chagas que reconciliam a justiça do Pai. Todas as graças que a alma perdeu por descuido ou relaxamento, poderá recuperá-las plenamente, aproximando-se do Santo Sacrifício do Altar, que contém a plenitude das graças”.


Eis um breve relato de algumas visões do padre Reus, com relação à maravilhosa realidade sobrenatural da Santa Missa. Falecido em odor de santidade, teve este sacerdote, a graça de ver o que acontece de sobrenatural durante a Santa Missa, a qual, por razão, costumava chamar de “A FESTA NO CÉU”.
Eis, pois, o que lhe dera dado ver: “Nossa Senhora convida todo o Paraíso para participar da Santa Missa; e todos os anjos e santos A seguem em maravilhoso cortejo até o altar.
Os Santos formam um semi-círculo ao redor do sacerdote celebrante e o acompanham até o altar.
Lá chegando, estes se colocam atrás dos santos. Outra multidão de anjos cerca a igreja e cobre os fiéis, impedindo a aproximação dos demônios durante a Santa Missa, em honra à majestade de Nosso Senhor Jesus Cristo.
A virgem Santíssima está sempre junto do celebrante, do lado do altar onde é servida a água e o vinho, e onde são lavadas as mãos do sacerdorte.
É a própria Mãe de Jesus quem serve o celebrante e lava suas mãos. Entre Nossa Senhora e o celebrante, é convidado o santo do dia.
Todas as almas do Purgatório também são convidadas pela Virgem Maria e permanecem durante toda a Santa Missa aos pés do altar, entre o celebrante e os fiéis.
Conta o Padre Réus que ele via as almas do Purgatório e verdadeira festa quando grande esperança de libertação.
Padre Réus via uma chuva caindo sobre o Purgatório durante toda a Santa Missa.
No momento sublime da consagração, quando estas almas vêem Nosso Senhor Jesus Cristo em Corpo, Sangue, Alma e Divindade, sentem um desejo incontrolável de sair daqueles chamas e se atirarem em Seus braços, mas não conseguem, por não estarem ainda purificadas.
Após a Consagração, acontece a libertação do Purgatório, das almas que já atingiram a purificação. Nossa Senhora estende a mão a cada uma delas e diz: “Minha filha, pode subir “.
No momento da oração da PAZ, os anjos saúdam as almas libertadas do Purgatório, abraçando-as. É um momento de imensa alegria e beleza.
Em seguida, estas almas, resplandecendo com a beleza indescritível, adornadas como noivas, como anjos, são intoduzidas triunfalmente no Paraíso, por uma multidão de anjos, ao som de música e cantos celestiais.

MINISTÉRIO JOVEM RCC

http://filhosespirituaisdepepio.blogspot.com.br

Fica Senhor conosco, tenha misericordia de nossa distração…

De nossa frieza…

De nossa correria…

Que não se finde o nosso dia,

sem termos parado ao menos um instante

para adora-lo!

(Sol)

Entrevista ao Padre Pio sobre a Santa Missa

– O senhor Padre ama o Sacrifício da Missa?
– Sim, porque ele regenera o Mundo.

– Que glória dá a Deus a Santa Missa?
– Dá-Lhe uma Glória infinita.

– Que devemos fazer durante a Missa?
– Compadecer-nos e amar.

– Padre, como devemos assistir à Santa Missa?
– Como assistiram a Santíssima Virgem e as piedosas mulheres.

Como assistiu S. João Evangelista ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrifício cruento da Cruz.

– Padre, que benefícios recebemos ao assistir à Santa Missa?
– Não se podem contar. Vê-los-emos no Céu.

Quando assistirmos à Santa Missa, renovemos a nossa Fé e meditemos na Vítima que Se imola por nós à Divina Justiça.
Não nos afastemos do Altar sem derramarmos lágrimas de dor e de amor a Jesus, crucificado por nossa salvação.
A Virgem Dolorosa acompanhar-nos-á e será a nossa doce inspiração.

– Padre, como é a sua Missa?
– É uma União sagrada com a Paixão de Jesus.

A minha responsabilidade é única no mundo.
(Disse-o, chorando).

  – Que devemos descobrir na Santa Missa?
– Todo o Calvário.

– Padre, diga-me o que sofre durante a sua Missa.
– Sofro tudo o que Jesus sofreu na Sua Paixão, embora na mínima proporção, só quanto pode suportar uma criatura humana.

E isto, apesar de cada uma das minhas faltas, só pela Sua Bondade.

– Durante o Sacrifício Divino, o senhor Padre carrega os nossos pecados?
– Não posso deixar de fazê-lo, já que é uma parte do Santo Sacrifício.

– O senhor Padre considera-se a si mesmo um pecador?
– Não o sei, mas receio que sim.

– Eu já vi o senhor a tremer quando subia os degraus do Altar. É pelo que tem de sofrer?
– Não tanto pelo que tenho de sofrer, mas pelo muito que tenho de oferecer.

– Em que momento da Missa o senhor Padre sofre mais?
– Na Consagração e na Comunhão.

– Padre, esta manhã, na Missa, ao ler a história de Esaú quando vendeu os direitos da sua primogenitura, os seus olhos encheram-se de lágrimas…
– Parece-vos pouco desprezar os dons de Deus?


– Porquê, ao ler o Evangelho, o senhor chorou quando leu estas palavras: “Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue…” ?
– Chorai comigo de ternura!

– Padre, por que chora quase sempre que lê o Evangelho na Missa?
– A nós parece-nos que não tem importância que um Deus fale às Suas criaturas, e que elas O contradigam e continuamente O ofendam com a sua ingratidão e incredulidade.

– A sua Missa, Padre, é um Sacrifício cruento?
– Quem assim pensa é herege!

(Ele respondeu assim porque a Missa é um Sacrifício “incruento”, sem derramamento de sangue de forma visível, mas apenas misticamente).

– Perdão, Padre, pois quis apenas dizer que na Missa o Sacrifício de Jesus não sendo cruento, será “cruenta” a participação do senhor Padre em toda essa mesma Paixão de Cristo. Engano-me?
– Não, nisso não te enganas. Creio que tens toda a razão.

– Quem limpa o sangue do senhor Padre, durante a Missa?
– Ninguém.

– Padre, porquê o senhor chora no Ofertório?
– Queres saber o segredo? Pois bem: Porque é o momento em que a alma se separa das coisas profanas.


– Durante sua Missa, Padre, o povo faz um pouco de barulho…
– Se estivesses no Calvário, não ouvirias gritos, blasfémias, ruídos, e ameaças? Havia um alvoroço enorme!


– Não o distraem os ruídos?
– Em nada.

– Padre, por que sofre tanto na Consagração?
– Não sejas maldoso… Não quero que me perguntes isso…

– Padre, diga-me, por favor: Porquê sofre tanto na Consagração?
– Porque, nesse momento, se produz realmente uma nova e admirável destruição e criação.

– Padre, por que chora no Altar, e o que significam as palavras que pronuncia na Elevação? Pergunto por curiosidade, mas também porque quero repeti-las com o senhor.
– Os Segredos do Rei Supremo não podem revelar-se, nem se profanar.

Perguntas-me por que choro, porém eu não queria derramar essas pobres lagrimazinhas, mas sim torrentes de lágrimas.
Não meditas neste grandioso Mistério?

– Padre, o senhor sofre, durante a Missa, a amargura do fel?
– Sim, muito frequentemente…

– Padre, como pode estar-se de pé no Altar?
– Como estava Jesus na Cruz.

– No Altar, o senhor Padre está pregado na Cruz, como Jesus no Calvário?
– E ainda me perguntas?

– Como se acha então o senhor?
– Como Jesus no Calvário.

– Padre, os carrascos deitaram a Cruz no chão, para pregarem os cravos em Jesus?
– Evidentemente.

– Ao senhor Padre também lhos pregam?
– E de que maneira!

– Também deitam a Cruz para o senhor Padre?
– Sim, mas não devemos ter medo.

– Padre, durante a Missa, o senhor pronuncia as Sete Palavras que Jesus disse na Cruz?
– Sim, indignamente, mas também as pronuncio.

– E a quem diz: “Mulher, eis aí teu filho”?
– Digo para Ela: “Eis aqui os filhos do Teu Filho”.

– O senhor sofre a sede e o abandono de Jesus?
– Sim.

– Em que momento?
– Depois da Consagração.

– Até que momento?
– Costuma ser até à Comunhão.

– O senhor diz que tem vergonha de dizer: “Procurei quem me consolasse e não achei”. Porquê?
– Porque os nossos sofrimentos, de verdadeiros culpados, não são nada, em comparação com os de Jesus.

– Diante de quem sente vergonha?
– Diante de Deus e da minha consciência.

– Os Anjos do Senhor reconfortam-no no Altar em que o senhor se imola?
– Pois, mas não o sinto.

– Se não lhe vem o consolo até à alma, durante o Santo Sacrifício, e o senhor sofre, como Jesus, o abandono total, a nossa presença não serve para nada?
– A utilidade é para vós.

Por acaso, foi inútil a presença da Virgem Dolorosa, de S. João e das piedosas mulheres, aos pés de Jesus Agonizante?

– O que é a Sagrada Comunhão?
– É toda uma Misericórdia interior e exterior, todo um Abraço.

Pede a Jesus que Se deixe comunicar sensivelmente.

– Quando Jesus vem, visita somente a alma?
– Visita o ser humano inteiro.

– Que faz Jesus na Comunhão?
– Deleita-Se na Sua criatura.


– Quando se une a Jesus na Sagrada Comunhão, o que deseja que peçamos a Deus pelo senhor Padre?
– Que eu seja outro Jesus, todo Jesus e sempre Jesus.

– O senhor sofre também na Comunhão?
– É esse o ponto culminante.


– Depois da Comunhão, continuam os seus sofrimentos?
– Sim, mas não tanto sofrimentos de Amor.

– A quem se dirigiu o último olhar de Jesus Agonizante?
– À Sua Mãe.

– E o senhor Padre para quem olha?
– Para os meus irmãos de exílio.

– O senhor mesmo morre na Santa Missa?
– Sim, misticamente, na Sagrada Comunhão.

– É por excesso de Amor, ou de Dor?
– Por ambas as coisas, mas mais por Amor.

– Se o senhor morre na Comunhão, continua a ficar no Altar? Porquê?
– Jesus Morto permanecia pendente da Cruz, no Calvário.

– O senhor Padre disse que a vítima morre na Comunhão, e depois colocam o Padre nos braços de Nossa Senhora?
– A mim, colocam nos braços de S. Francisco.

– Padre, Jesus desprega os braços da Cruz para descansar no senhor?
– Sou eu quem descansa n’Ele.

– Quanto o senhor ama a Jesus?
– O meu desejo é imenso, mas a verdade é que, infelizmente, tenho que dizer “nada amo”, e isso me causa muita pena.

– Padre, por que o senhor chora ao pronunciar as últimas palavras do Evangelho de S. João: “E vimos a Sua Glória como Unigénito do Pai, cheio de Graça e de Verdade”?
– Parece-te pouco? Se os Apóstolos, com os seus olhos do corpo, viram essa Glória em Cristo na Terra, como será então a que veremos no Filho de Deus, em Jesus, aquando da Sua manifestação no Céu?

– Que união teremos então com Jesus?
– A Sagrada Eucaristia dá-nos uma ideia.

– A Santíssima Virgem assiste à sua Missa?
– Julgas que a Mãe não se interessa pelo Seu Filho?


– E os Anjos?
– Em multidões.


– Padre, quem está mais perto do Altar?
– Todo o Paraíso.

– O senhor gostaria de celebrar mais de uma Missa por dia?
– Se eu pudesse, não quereria descer do Altar.

– Disseram-me que o senhor traz o seu próprio Altar…
– Sim, porque se realizam estas palavras do Apóstolo:

“Eu trago no meu corpo os estigmas de Jesus”; “Estou cravado com Cristo na Cruz”; “Castigo o meu corpo e reduzo-o à escravidão”…

– Nesse caso, não me engano quando digo que estou vendo em si Jesus Crucificado…
– … (Nenhuma resposta)

– Padre, o senhor lembra-se de mim na Santa Missa?
– Durante todo o Santo Sacrifício, desde o princípio até o fim, lembro-me de ti.

A Missa do Padre Pio, nos seus primeiros anos, durava mais de duas horas. Sempre foi um êxtase de Amor e de Dor. O seu rosto estava inteiramente concentrado em Deus e cheio de lágrimas…
Um dia, ao confessar-me, perguntei-lhe sobre este grande mistério:

– Padre, quero fazer-lhe uma pergunta.
– Diz, meu filho.

– Padre, queria perguntar-lhe: o que é a Santa Missa?
– Por que me perguntas isso?

– Para vivê-la melhor, senhor Padre.
– Filho, posso dizer-te o que é a minha Santa Missa.

– Pois, é isso mesmo o que queria saber, Padre.
– Meu filho, estamos na Cruz, e a Missa é uma contínua Agonia.

 

Te convido a adorar Jesus nos louvores!!!


Musica linda!
Sabe quando você encontra uma musica que canta tudo o que você esta pensando, e você escuta tanto, que se fosse disco, riscava? Então…é esta musica agora na minha vida!

(Sol)

Bem mais do que seus olhos podem ver

Bem mais do que suas mãos podem tocar

És presente, és perfeito

Por amor se faz pequeno neste altar

Bem mais do que a lágrima que cai

Bem mais que tudo que ficou pra trás

És presente, és perfeito

Por amor se faz pequeno nesse altar

Cordeiro imolado nos refaz

pão que alimenta mais e mais

Força que nos faz ir mais além

Um pedaço do céu pra terra vem

Pão e vinho que sustenta a alma

Voz que toda a tempestade acalma

Comunhão repleta de amor;

Repleta de amor.

PENSANDO ALTO

Se creio que Jesus esta presente e vivo na Eucaristia,

no doce milagre no altar da santa missa.

E chego para uma reunião que ainda não começou,

e logo ali do lado, bem perto de mim

esta acontecendo a santa missa.

Eu fico distante, conversando e arrumando minha cadeira para a reunião que começa depois da missa.

Agindo assim testemunho que  eu creio que Jesus esta lá,

na santa missa?

Sendo indiferente, conversando coisas banais…

Enquanto Jesus esta lá, renovando o sacrifício por mim!

Pensando nisso entendi a frase de padre Pio sobre a missa:

“Se os homens conhecessem o valor da Santa Missa, a Polícia teria que estar sempre às portas das Igrejas para manter a ordem por causa da grande quantidade de pessoas que a assistiriam.”

(São Pe.Pio)

Penso que deveríamos silenciar, e mesmo que chegássemos atrasados e não podendo comungar, deveríamos adorar, contemplar, e se  inebriar neste amor sendo derramado!

Haaa … Jesus, revela-te ao mundo logo!

Como fizestes com seus santos!

(Sol)

Primeiro sacrario, onde santa Isabel adorou Jesus!

Ensina-nos a adora-lo mais…

Ensina-nos a ama-lo sempre mais!

(Sol)

SACRARIO VIVO

O Teu corpo vou comungar
E seremos um
Criatura, Criador
Amado e o próprio Amor

O Teu sangue, ao beber
Apagará, enfim, toda culpa
Terei em mim o Teu coração
Sacrário vivo serei

Seremos um
O Teu coração e o meu
Seremos um
Em Teus braços vou me abandonar

Seremos um
Eu terei a Tua paz a me motivar
Seremos um
Tal como um barco em Teu mar
Não vou naufragar