Eu me reconheço inferior a todos os bens que me destes, e quando considero vossa majestade, abate-se meu espírito com o peso de vossa grandeza.

 

 

A beleza que eu encontrei na Tua luz
Me impediram de temer as trevas da minha cruz
Sinto o fardo pesado, mas em Ti meu coração descansa
O sofrimento perturba, mas a minha alma canta

Não tenho mais nada, mas tenho o meu coração
E com ele posso sempre amar

Te amar na certeza que a vida
Ressurge ao enfrentar a Cruz
Ofertar os meus dias, a minha alegria, minha juventude
Te levar no sorriso e em cada momento viver Teu amor
Se queres eu quero, é Teu o meu nada
Faz de mim um reflexo da Tua luz

Como posso não me alegrar
Quando sei que tu tens o melhor pra mim
Então só resta entregar-me à Tua vontade
E viver só por Ti, por Ti

 

Partilhando e aprendendo

Creio que Jesus sempre fala, nos ensina, em tudo que vivemos.

Desejando muito estar em um evento da igreja,

fazendo planos, projetos, ansiosa por vive-los.

E vendo pouco a pouco, dar errado cada projeto. 

Percebendo que meus planos, foram todos desfeitos.

E em vez de realiza-los , ficar quietinha olhando tudo de longe,

sem fazer parte de nada.

Me fez rezar, e silenciar, para poder discernir…

E em vez de questionar o “porque?”,

pensar no “Pra que?”

Buscando entender,

os livros espirituais responderam:

Da recordação dos inumeráveis benefícios de Deus

 

A alma: Abri, Senhor, meu coração à vossa lei, e ensinai-me o caminho de vossos preceitos. Fazei-me compreender a vossa vontade, e com grande reverência e diligente consideração rememorar os vossos benefícios, gerais ou particulares, para assim render-vos por eles as devidas graças. Bem sei e confesso que nem pelo menor benefício vos posso render condignos louvores e agradecimentos.

Eu me reconheço inferior a todos os bens que me destes, e quando considero vossa majestade, abate-se meu espírito com o peso de vossa grandeza.

Tudo o que temos, na alma e no corpo, todos os bens que possuímos, internos e externos, naturais e sobrenaturais, todos são benefícios vossos, e outras tantas provas de vossa bondade, liberalidade e muníficência, que de vós todos os bens recebemos.

E ainda que este receba mais e outros menos, tudo é vosso, e sem vós ninguém pode alcançar a menor coisa.

E aquele que recebeu mais não pode gloriar-se de seu merecimento, nem elevar-se acima dos outros, nem desprezar o menor; porque só é maior e melhor aquele que menos atribui a si, e é mais humilde e fervoroso em vos agradecer.

E quem se considera mais vil e se julga o mais indigno de todos é o mais apto para receber maiores dons.O que, porém, recebeu menos não deve afligir-se, nem queixar-se, nem ter inveja do mais rico; olhará, ao contrário, para vós, e louvará vossa bondade, que tão copiosa e liberalmente prodigalizais vossas dádivas, sem acepção de pessoas.

De vós nos vêm todas as coisas; por todas, pois, deveis ser louvado. Vós sabeis o que é conveniente dar a cada um, e não nos pertence indagar por que este tem menos, aquele mais; só vós podeis avaliar os merecimentos de cada um.

Por isso, Senhor meu Deus, considero como grande benefício o não ter eu muitas coisas que trazem a glória exterior e os humanos louvores.

Portanto, ninguém, à vista de sua pobreza e da vileza de sua pessoa, deve conceber, por isso, desgosto, tristeza ou desalento, senão grande alegria e consolo, porque vós, Deus meu, escolheste por vossos particulares e íntimos amigos os pobres, os humildes e os desprezados deste mundo.

Testemunho disto são vossos apóstolos, a quem constituístes príncipes sobre a terra. Todavia, viveram neste mundo tão sem queixa, tão humildes e com tanta singeleza da alma, tão sem malícia ou dolo, que se alegravam de sofrer contumélias por vosso nome, e com grande afeto abraçavam o que o mundo aborrece.

Nada, pois, deve alegrar tanto aquele que vos ama e reconhece vossos benefícios, como ver executar-se a seu respeito vossa vontade e o beneplácito de vossas eternas disposições.

Tanto deve com isto estar contente e satisfeito, que queira de tão boa vontade ser o menor, como outro desejaria ser o maior; e tão sossegado e contente deve estar no último como no primeiro lugar, tão satisfeito em ser desprezado e abatido, sem nome nem reputação, como se fosse o mais honrado e estimado no mundo. Porque a vossa vontade e o amor de vossa honra deve ser anteposto a tudo, e deve consolar e agradar mais ao vosso servo, que todos os dons presentes ou futuros.

(Imitação de Cristo)

 

Me quebra, me santifica. Espírito, faz tua obra em mim. Me sara, me purifica, Espírito põe teu óleo em mim. Vou descer á casa do oleiro, vou deixar, que Ele me toque. Quebra-me de novo se necessário for, faz-me vaso novo.

 

Das quatro coisas que produzem grande paz

Jesus: Filho, vou agora te ensinar o caminho da paz e da verdadeira liberdade.

A alma: Fazei, Senhor, o que dizeis, que muito grato me é ouvi-lo.

Jesus: Filho, trata de fazer antes a vontade alheia que a tua. Prefere sempre ter menos que mais. Busca sempre o último lugar e sujeita-te a todos. Deseja sempre e roga que se cumpra plenamente em ti a vontade de Deus. O homem que assim procede penetra na região da paz e do descanso.

A alma: Senhor, este vosso discurso é breve, mas encerra muita perfeição. Poucas são as palavras, cheias, porém, de sabedoria e de copioso fruto. Se eu as praticasse fielmente, não me deixaria perturbar com tanta facilidade.

Pois, todas as vezes que me sinto inquieto e aflito, verifico que me desviei desta doutrina.

Vós, porém, que tudo podeis e desejais sempre o progresso da alma, aumentai em mim a graça, para que possa guardar vossos ensinamentos e levar a efeito minha salvação.

Oração contra os maus pensamentos:

Senhor, meu Deus, não vos aparteis de mim, meu Deus dignai-vos socorrer-me (Sl 70,13). Pois me invadem vários pensamentos, e grandes temores afligem minha alma. Como escaparei ileso, como poderei vencê-los? Diante de ti, são palavras vossas, irei eu e humilharei os soberbos da terra (Is 14,1); abrir-te-ei as portas do cárcere e te revelarei mistérios recônditos. Fazei Senhor, conforme dizeis e dissipe vossa presença todos os maus pensamentos.

Esta é a minha única esperança e consolação: a vós recorrer em toda tribulação, em vós confiar, invocar-vos de todo o coração e com paciência aguardar a vossa consolação. Amém.

Oração para pedir o esclarecimento do espírito:

Iluminai-me, ó bom Jesus, com a claridade da luz interior e dissipai todas as trevas que reinam em meu coração. Refreai as dissipações nocivas e rebatei as tentações, que me fazem violência. Pelejai valorosamente por mim, e afugentai as más feras, essas traiçoeiras concupiscências, para que se faça a paz por vossa virtude, e ressoe perene louvor no templo santo, que é a consciência pura. Mandai aos ventos e às tempestades; dizei ao mar: aplaca-te, e ao tufão: não sopres; e haverá grande bonança. Enviai vossa luz e vossa verdade (Sl 42,3), para que resplandeçam sobre a terra; porque sou terra vazia e estéril, enquanto não me iluminais. Derramai sobre mim vossa graça e banhai o meu coração com o orvalho celestial; abri as fontes de devoção, que reguem a face da terra, para que produza frutos bons e perfeitos. Erguei meu espírito abatido pelo peso dos pecados e dirigi meus desejos paras as coisas do céu, para que, antegozando a doçura da suprema felicidade, me aborreça em pensar nas coisas da terra.

Desprendei-me e arrancai-me de toda transitória consolação das criaturas, porque nenhuma coisa criada pode consolar-me plenamente ou satisfazer meus desejos. Uni-me convosco pelo vínculo indissolúvel do amor, porque só vós bastais a quem vos ama, e sem vós tudo o mais é vaidade. Amém.

Discernindo…

Que minha presença não faz diferença…

Aprender a viver o escondimento e a oração.

Sem desejar méritos algum.

Amar e rezar, sem esperar ser vista,

sem aguardar agradecimentos ou privilégios.

Rezar, se alegrar e agradecer ao ver os cuidados de Deus,

que não falham!

“Haaa… Jesus, eu não pude estar lá,

mas foste tão bom e amável com quem pode!

Te louvo e agradeço por sua eterna misericordia!

Descanso na alegria de poder contemplar seu imenso amor,

nestes dias de missão e aprendizado!”

(Sol)

O sentido me falta se não estou em ti
Como posso, ingrato, me esquecer de ti?
Se é em ti que eu me perco
para enfim me encontrar
Meu sentido e alento, quero me entregar
O ar falta em meu peito, meu olhar fixo em ti
O meu ser tão sedento só se encontra aqui
Como a corsa que anseia às aguas encontrar
Minha alma rendida só quer te adorar
Adorar-te, adorar-te
Eu vou adorar
Em ti esperarei
E tua face eu verei

 

Quero hoje me entregar,

com sim declarado com o teu o mãe,

me deixar me envolver pela força do altíssimo

Quero me lançar no amor,

ir ao encontro de tantos corações,

como um dia tu foste cheia do Espírito

Ouço do céu, um vento a soprar ,

o peito arde em chamas e preenche cada canto meu,

é o consolador a nos enviar.

Mãe dos corações,

fica conosco e ensina-nos

Tu que és esposa do Espírito Santo e onde tu estas,

também Ele esta

Vem nos fazer autênticos discípulos de Cristo ,

sem medos ou reservas de nos entregar

e realizar os planos de Deus

Vida e morte na gloria e na dor

Tua presença é escola,

teu rogo é certeza de um vinho novo

Vem estar conosco no nosso cenáculo interior.

Mãezinha, ensina-nos sempre!

Forma-nos, modela-nos!

Para sermos servos fieis,

obedientes e silenciosos,

assim como fostes Tu,

o mãe amada!

 

Agradeço sua visita. Deus seja louvado por sua vida!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s