No final de sua vida, um presente ele nos deu!

Papa Francisco fala sobre a Eucaristia

O gesto de Jesus cumprido na Última Ceia é o extremo agradecimento ao Pai pelo seu amor, pela sua misericórdia. “Agradecimento” em grego se diz “Eucaristia”. E por isto o Sacramento se chama Eucaristia: é o supremo agradecimento ao Pai, que nos amou tanto a ponto de dar-nos o seu Filho por amor. Eis porque o termo Eucaristia resume todo aquele gesto, que é gesto de Deus e do homem junto, gesto de Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

Então a Celebração Eucarística é bem mais que um simples banquete: é propriamente o memorial da Páscoa de Jesus, o mistério central da salvação. “Memorial” não significa somente uma recordação, uma simples recordação, mas quer dizer que cada vez que celebramos este Sacramento participamos do mistério da paixão, morte e ressurreição de Cristo.

A Eucaristia é o ápice da ação da salvação de Deus: O Senhor Jesus, se fez pão partido por nós, derrama sobre nós toda a sua misericórdia e seu amor, e assim renova o nosso coração, a nossa existência e a maneira como nos relacionamos com Ele e com os irmãos.

É por isto que sempre, quando nos aproximamos deste sacramento, se diz de: “Receber a Comunhão”, de “fazer a Comunhão”: isto significa que o poder do Espírito Santo, a participação na mesa eucarística se conforma de modo profundo e único a Cristo, nos fazendo experimentar já a plena comunhão com o Pai que caracterizará o banquete celeste, onde com todos os Santos teremos a alegria de contemplar Deus face a face.

Queridos amigos, nunca conseguiremos agradecer ao Senhor pelo dom que nos fez com a Eucaristia! É um grande dom e por isto é tão importante ir à Missa aos domingos.

Ir à missa não somente para rezar, mas para receber a Comunhão, este pão que é o Corpo de Jesus Cristo que nos salva, nos perdoa, nos une ao Pai. É muito bom fazer isto! E todos os domingos, vamos à Missa porque é o próprio dia da ressurreição do Senhor. Por isto, o domingo é tão importante para nós.

E com a Eucaristia sentimos esta pertença à Igreja, ao Povo de Deus, ao Corpo de Deus, a Jesus Cristo. Nunca terminará em nós o seu valor e a sua riqueza. Por isto, pedimos que este Sacramento possa continuar a manter viva na Igreja a sua presença e a moldar as nossas comunidades na caridade e na comunhão, segundo o coração do Pai. E isto se faz durante toda a vida, mas tudo começa no dia da primeira comunhão.

(Papa Francisco)

http://www.franciscanos.org.br

Fiel Pelicano

Eu te adoro, eu te louvo, eu te amo,eu te espero, meu Senhor!

A PRESENÇA REAL

Eis agora a instituição do augusto sacrifício. Momento solene! Soou a hora do Amor.

É a páscoa mosaica que se consome; é o Cordeiro real que substitui o figurativo; é o Pão da Vida, o Pão do Céu, que toma o lugar do maná do deserto. Tudo está preparado.

Os Apóstolos, a quem o Mestre acaba de lavar os pés, estão puros. Jesus senta-se modestamente à mesa, pois era mister participar da nova Páscoa sentado, repousando em Deus.

Faz-se, em torno, grande silêncio. Os Apóstolos, atentos, observam tudo. Jesus recolhe-se em si mesmo, toma o Pão nas suas Mãos Santas e veneráveis, eleva os Olhos ao Céu e, dando graças a seu Pai por ter chegado a hora ansiosamente esperada, estende a Mão e benze o Pão… E, enquanto os Apóstolos, penetrados de profundo respeito, não ousam perguntar a significação desses símbolos tão misteriosos, Jesus pronuncia estas palavras arrebatadoras, tão poderosas como a palavra criadora: “Tomai e comei, isto é o meu Corpo. Tomai e bebei, isto é o meu Sangue”.

É o mistério do Amor que se consuma. É Jesus que cumpre com sua palavra. E nada mais lhe restando a dar que sua Vida mortal na Cruz, Ele a dará, para depois ressuscitar e tornar-se nossa Hóstia perpétua de propiciação, Hóstia de Comunhão, Hóstia de adoração. O Céu extasia-se à vista desse mistério.

A Santíssima Trindade contempla-o com amor. Os Anjos o adoram, tomados de admiração. Os demônios têm frêmitos de raiva nos infernos.

Sim, Jesus, tudo está consumado! Nada mais tendes a dar ao homem para lhe provar vosso Amor. Agora podeis morrer, e, na própria Morte, não nos deixareis.

Vosso Amor eternizou-se na terra. Voltai ao Céu de vossa Glória; a Eucaristia será o Céu de vosso Amor.

São Pedro Julião Eymard

[A Divina Eucaristia: Extratos dos Escritos e Sermões de São Pedro Julião Eymard. )

Fiel Pelicano

Ensinamentos de S. Pedro Julião Eymard sobre a Eucaristia

 

São Pedro Pedro Julião Eymard escreveu uma grande obra sobre a Eucaristia; era devotíssimo de Jesus Sacramentado. Eis alguns de seus ensinamentos:

1 – Na Sagrada Hóstia Jesus não está escondido, mas apenas velado. Uma coisa escondida não se sabe onde está.

2 – Legiões de anjos adoram o Verbo reduzido a um estado tão próximo do nada.

3 – A Eucaristia, como bem supremo da vontade, faz com que a alma considere sem valor os bens e prazeres desta terra e as criaturas.

4 – Jesus está no Santíssimo Sacramento para receber dos homens as mesmas homenagens que lhe prestaram os que tiveram a felicidade de acercar-Lhe dele durante sua vida mortal.

5 – Jesus não considera a quantidade dos dons, mas o coração que os oferece.

6 – O amor não quer ser feliz sozinho. Todos os atributos de Deus estão à disposição do seu amor de benevolência para conosco na Eucaristia.

7 – Jesus quer permanecer conosco na Eucaristia porque nos salvou.

8 – Como é possível alcançar a santidade sem se entregar a Jesus na Eucaristia para ser absorvido por Ele?

9 – Jesus se entrega a mim na Eucaristia, e eu devo me entregar a Ele.

10 – Jesus cobre o mundo de Hóstia consagradas porque quer que todos os seus filhos o possuam.

11- Jesus Hóstia é muito nosso, todo nosso.

12- Jesus está na Eucaristia porque sabia que coisa alguma poderia substituir sua Pessoa.

http://blog.cancaonova.com

Fiel Pelicano

     

Que bom te receber no meu coração

Te tocar Ter te em minhas mãos

Com carinho te acolher

E contigo ser um só

Ter contigo uma perfeita comunhão

Corpo e sangue vinho e pão

Milagre de amor

Fonte de vida

Ó meu Jesus eucaristia

Eu te recebo em comunhão

Pois mesmo sem que eu mereça

Vens fazer morada no meu coração

Eu te adoro meu Jesus Doce mistério no meu coração

Como um Deus tão grande e soberano

Se faz pequeno em um pedaço de pão

Só por amor  

 

Vídeo de formação: Comungar bem – Padre Paulo Ricardo.

“Se tiverdes fé como um grão de mostarda, vós fareis as montanhas mudarem de lugar.” [cf. Mt 17,20]

 

Mas nossa fé que opera tão pouco deve ser bem pequena! Digamos, portanto, como os Apóstolos: Senhor, aumentai a nossa fé [Lc 17,5].

Não peçamos a fé nos milagres, nas verdades, mas em Nosso Senhor Presente.

Crê-se nas verdades passadas e distantes que quase não nos tocam. Mas em Nosso Senhor Presente, quase não se tem fé, porque seria necessário amá-LO.

Não se acredita em alguém, sem amá-lo, sem honrá-lo. Tem-se medo dos sacrifícios que este amor exige.

Ora, todos nós cremos na Eucaristia como verdade, presença – é a salvação. Muitos param aí: fé de conhecimento, fé quase negativa, que quase não honra, que se ocupa muito pouco daquilo que crê. Todos os cristãos têm esta fé; isso não deve bastar ao coração, esta não é uma fé pessoal, é uma fé negativa e especulativa, que não insulta, mas que não honra, ou então que só honra a Nosso Senhor na Igreja – e ainda! Eles entram, não saúdam, ou saúdam de forma ridícula; se tivessem fé, dever-se-ia esbofeteá-los, são insultadores, ou máquinas que não refletem. Se dissessem a si mesmos: “Jesus que lá está é o mesmo que está no Céu! Tudo treme ao Seu olhar, obedece à Sua palavra, Ele tem em sua mão o raio, o trovão”, não se faria o que se faz.

Veem-se Igrejas onde os Sacristãos, pessoas honestas não fazem nem saudação, nem reverência: é um escândalo.

E se eu fosse pagão, vendo isso, jamais me converteria.

Vede, a fé, em seu primeiro grau, é o respeito; pois, será que só porque Nosso Senhor Se velou, deve-se faltar com o respeito para com Ele?

Pouco respeito significa pouca fé, falta de respeito, impiedade e indiferença.

Isto me faz sofrer, crede-me, não falteis jamais com o respeito ao Santíssimo Sacramento. É preferível não vir. As irreverências no lugar santo são sempre punidas neste mundo. Nosso Senhor não pune, Ele quis de tal forma Se esconder!

Depois desta fé na verdade que honra a dignidade, a realeza, que respeita, que é a fé prática, é preciso crer na bondade de Nosso Senhor. Crer na verdade não prende, não cria laços de afeição. Crede em Sua bondade, em Sua misericórdia, em Suas graças. Crede que Ele está lá para conceder Suas graças. Ele não quer guardá-las.

Recebei-as ao menos, desembaraçai-O delas.

E se credes nesta bondade, doente, vós O consultareis, triste, vós vireis pedir-Lhe a consolação. Na medicina o que melhor cura é o fogo, o éter, o que queima – eis aqui o fogo divino que cauteriza toda ferida.

Vós tendes necessidade de conselhos, vinde a este Amigo, vinde dizer vossas penas corporais e espirituais, o pão para a natureza e para a graça: tudo vem d’Ele nas duas ordens; vós não sois Anjos, tendes necessidades do corpo, pedi a Nosso Senhor. Ele quer fazer pessoas felizes cada dia, Ele quer aplicar o bálsamo, comunicar a força, a luz. Ele é mais feliz em dar, do que nós em receber. Se tivéssemos esta fé, desde que tivéssemos qualquer necessidade, viríamos a Ele. Faz-se tudo ao contrário: vai-se a tudo e termina-se por Ele. Tem-se medo de Sua bondade. Cada um gosta de restituir o que recebe para estar quite. Nosso Senhor dá e não recebe nada, Ele pede somente o reconhecimento. Não gostamos de estar em dívida de reconhecimento. Os Santos sabem disso, ide – eles O fazem trabalhar, desatam-NO, fazem-NO agir. Quase não temos fé, uma vez que permanecemos infelizes longe d’Ele. Digo-vos que temos medo d’Ele. Nada podemos receber de Nosso Senhor sem nos prendermos pelo amor.

Além disso, existe a fé no amor de Nosso Senhor; isto completa a fé na Eucaristia. Crer que Ele está lá por amor, que este amor é tão forte, tão grande, que Ele não pode mais se tornar livre. É um contrato perpétuo. E se Lhe perguntamos: “Por que estais aí?”, Ele não dirá que é para nos fazer o bem, isto nos humilharia. Ele responderá que é por amor, para ser nosso Companheiro, conversar conosco. Se Ele não nos amasse, não estaria lá. A bondade poderia se contentar com os canais dos Sacramentos para nos conceder as graças. O amor não, o amor quer estar lá Ele mesmo. É o fogo que somente Nosso Senhor pode acender e entreter. Também somente o amor vem a Nosso Senhor, ao Seu amor, quero dizer. Se se acreditasse nisso, haveria de que se tornar louco de amor. Jesus Cristo o mesmo que está no Céu! Amando com um amor infinito! Não se poderia mais ir embora. Alguns Santos viviam do êxtase deste amor compreendido.

Nós estamos ainda longe de acreditar que Nosso Senhor está lá, amando-nos como no Céu, mais que isto, consumindo-Se de amor, enquanto que no Céu, Ele não Se consome. O que fazer? Humilhar-se por ter amado mais as criaturas do que Nosso Senhor! Por não ter feito por Ele o que fizestes pelo próximo.

Peçamos a fé na bondade, no amor de Nosso Senhor. Devemos pedir que a fé no Santíssimo Sacramento ressurja na terra – eu digo ressurja, porque ela já não existe. Pedi a fé para essas almas que não creem, que estão paralisadas. É isso o que se deve pedir: a fé no coração, na vida de Nosso Senhor. O resto virá, e depressa nos converteremos com isso.

(Conferência feita por São Pedro Julião Eymard em 14 de maio de 1868 OBRAS COMPLETAS / XII VOLUME)

Fiel Pelicano

Pensamentos de São Pedro Julião Eymard

 

“Uma boa hora de adoração diante do Santíssimo Sacramento produz maior bem do que todas as igrejas de mármore que possamos visitar ou todos os túmulos que possamos venerar.”
“O grande mal de nossa época é que não vamos a Jesus Cristo como a seu Salvador e a seu Deus. Abandona-se o único fundamento, a única fé, a única graça da salvação… Então o que fazer? Retornar à fonte da vida, mas não ao Jesus histórico ou ao Jesus glorificado no céu mas sim ao Jesus que está na Eucaristia. Temos que fazê-lo sair de seu esconderijo para que possa de novo colocar-se à cabeça da sociedade cristã… Que venha cada vez mais o reino da Eucaristia: Adveniat regnum tuum!

“A Eucaristia é também a vida da alma e da sociedade humana, como o sol é a vida dos corpos e da face da terra. Sem o sol, a terra é estéril; ele alegra-a, adorna-a e enriquece-a; ele dá aos corpos a eficácia, a força e a beleza.”

Eu ainda não O amava, e Ele Jesus já me tinha Amor.

São Pedro Julião Eymard

Fiel Pelicano

O que os Santos disseram da Eucaristia e da Missa

Santo Inácio de Antioquia(†102), bispo e mártir, disse sobre a Eucaristia:

“Esforçai-vos, portanto, por vos reunir mais frequentemente, para celebrar a Eucaristia de Deus e o seu louvor. Pois quando realizais frequentes reuniões, são aniquiladas as forças de Satanás e se desfaz seu malefício por vossa união na fé. Nada há melhor do que a paz, pela qual cessa a guerra das potências celestes e terrestres.” (Carta aos Efésios)

Fiel Pelicano

São Cipriano de Cartago(†258):

“Os fiéis bebem diariamente do cálice do Senhor, para que possam também eles derramar o seu sangue por Cristo” (Epistola 56, n. 1).

Fiel Pelicano

Afonso Albuquerque:

“Se todos somos pecadores, esta criaturinha é certamente sem mácula. Ah! Senhor, por amor deste inocente, compadecei-vos dos culpados!”

Fiel Pelicano

São Jerônimo (348-420), doutor da Igreja:

“Nosso Senhor nos concede tudo o que lhe pedimos na Santa Missa : o que mais vale é que nos dá ainda o que nem se quer cogitamos pedir-lhe e que, entretanto, nos é necessário”.

Fiel Pelicano

São João Maria Vianney, patrono dos párocos:

“Se conhecêssemos o valor do Santo Sacrifício da Missa que zelo não teríamos em assistir a ela”. (Cura d’Ars).

“Cada Hóstia consagrada é feita para se consumir de amor em um coração humano”.

Fiel Pelicano

São Bernardo de Claraval (1090-1153), doutor da Igreja:

“Fica sabendo, ó cristão, que mais merece ouvir devotamente uma só missa do que com distribuir todas as riquezas aos pobres e peregrinar toda a terra.”

“A comunhão reprime as nossas paixões: ira e sensualidade principalmente”.

“Quando Jesus está presente corporalmente em nós, ao redor de nós, montam guarda de amor os anjos”.

Fiel Pelicano

Santa Teresa D´Avila (1515-1582),doutora da Igreja:

“Não há meio melhor para se chegar à perfeição”.

“Não percamos tão grande oportunidade para negociar com Deus. Ele [Jesus] não costuma pagar mau a hospedagem se o recebemos bem”.

“Devemos estar na presença de Jesus Sacramentado, como os Santos no céu, diante da Essência Divina”.

“É pelo preparo do aposento que se conhece o amor de quem acolhe o seu amado”.

Fiel Pelicano

São Tomás de Aquino (1225-1274):

“A Comunhão destrói a tentação do demônio”.

Fiel Pelicano

 São Vicente Ferrer:

“Há mais proveito na Eucaristia que em uma semana de jejum a pão e água”.

Fiel Pelicano

São João Crisóstomo (349-407),doutor da Igreja:

“A Eucaristia dá-nos uma grande inclinação para a virtude, uma grande paz e torna mais fácil o caminho para a santificação”.

“Deu-se todo não reservando nada para si”.

“Não comungar seria o maior desprezo a Jesus que se sente “doente de amor” (Ct 2,4-5)”.

Fiel Pelicano

Santo Ambrósio (340-397),doutor da Igreja:

“Eu que sempre peco, preciso sempre do remédio ao meu alcance.”

Fiel Pelicano

 São Gregório Nazianzeno (330-379),doutor da Igreja:

“Este pão do céu requer-se que se tenha forme. Ele quer ser desejado”.

“O Santíssimo Sacramento é fogo que nos inflama de modo que, retirando-o do altar, espargimos tais chamas de amor que nos tornam terríveis ao inferno.”

Fiel Pelicano

 Santo Agostinho (354-430),doutor da Igreja:

“Ele se esconde porque quer ser procurado”.

“Não somos nós que transformamos Jesus Cristo em nós, como fazemos com os outros alimentos que tomamos, mas é Jesus Cristo que nos transforma nele.”

“Sendo Deus onipotente, não pôde dar mais; sendo sapientíssimo, não soube dar mais; e sendo riquíssimo, não teve mais o que dar.”

“A Eucaristia é o pão de cada dia que se toma como remédio para a nossa fraqueza de cada dia.”

“Na Eucaristia Maria perpetua e estende a sua maternidade.”

Fiel Pelicano

 Santo Afonso de Ligório (1696-1787), doutor da Igreja:

“A comunhão diária não pode conviver com o desejo de aparecer, vaidade no vestir, prazeres da gula, comodidades, conversas frívolas e maldosas. Exige oração, mortificação, recolhimento.”

“Ficai certos de que todos os instantes da vossa vida, o tempo que passardes diante do Divino Sacramento será o que vos dará mais força durante a vida, mais consolação na hora da morte e durante a eternidade”.

Fiel Pelicano

 São Boaventura (1218-1274), doutor da Igreja:

“Ainda que friamente aproxime-se confiando na misericórdia de Deus”.

  Fiel Pelicano

São João de Ávila:

“Tempo de ganhar muitas graças”.

 Fiel Pelicano

Santa Maria Madalena de Piazzi:

“Tempo mais apropriado para crescer no amor de Deus”.

“Os minutos que vêm depois da comunhão – dizia a santa – São os mais preciosos que temos em nossa vida; os mais apropriados de nossa parte para entender-nos com Deus e, da parte de Deus, para comunicar-nos o seu amor”.

Fiel Pelicano

São Gregório de Nissa:

“Nosso corpo unido ao corpo de Cristo, adquire um princípio de imortalidade, porque se une ao Imortal”.

Fiel Pelicano

 Santa Teresinha (1873-1897), doutora da Igreja:

“Não é para ficar numa âmbula de ouro, que Jesus desce cada dia do céu, mas para encontrar um outro céu, o da nossa alma, onde ele encontra as sua delícias”.

“Quando o demônio não pode entrar com o pecado no santuário de uma alma, quer pelo menos que ela fique vazia, sem dono e afastada da comunhão.”

Fiel Pelicano

Santa Margarida Maria Alacoque:

“Nós não saberíamos dar maior alegria ao nosso inimigo, o demônio, do que afastando-nos de Jesus, o qual lhe tira o poder que ele tem sobre nós.”

Fiel Pelicano

São Filipe Neri:

“A devoção ao Santíssimo Sacramento e a devoção à Santíssima Virgem são, não o melhor, mas o único meio para se conservar a pureza. Somente a comunhão é capaz de conservar um coração puro aos 20 anos. Não pode haver castidade sem a Eucaristia.”

Fiel Pelicano

Santa Catarina de Gênova:

“O tempo passado diante do Sacrário é o tempo mais bem empregado da minha vida”.

Fiel Pelicano

São João Bosco:

“Não omitais nunca a visita a cada dia ao Santíssimo Sacramento, ainda que seja muito breve, mas contanto que seja constante.”

Fiel Pelicano

Chiara Lubic:

“Enquanto existir a Eucaristia eu nunca estarei só. Enquanto existir um sacrário, não terei solidão”.

“É preciso preparar-se para receber Jesus”.

http://cleofas.com.br

Fiel Pelicano

Vídeo: Documentário sobre João Paulo II e a Eucaristia

 

O SANTO EUCARÍSTICO

JOAO-PAULO3

É impossível falarmos de São João Paulo II e não lembrarmos da sua alegria com as coisas simples, o seu carinho pelos jovens e pobres, seu olhar profundo, seu pedido de paz, sua coragem nas dificuldades, perseverança na fragilidade e o amor em perdoar quem tentou lhe tirar a vida. Mas, de onde vinha esse seu jeito que cativou tanta gente?  Nosso Papa era amigo íntimo de Jesus Eucarístico.

Em um de seus livros, “Levantai-vos! Vamos!”, o santo descreve a alegria de ter uma capela próxima as dependências

de onde trabalhava, e essa era como um imã para ele, todas as decisões eram tomadas ali.

Quem o conheceu de perto relata que João Paulo passava horas diante do sacrário, ajoelhado ou prostrado, várias vezes ao dia (chegando a vinte visitas por dia, segundo um sacerdote que vivia próximo do Papa), em momentos de intimidade e silêncio. Enquanto todos ainda estavam dormindo, 5:30h da manhã, já estava ele em sua capela particular. Depois celebrava a missa, durante o dia fazia a liturgia das horas, rezava pelos pedidos do mundo inteiro que chegavam até ele, fazia seus escritos e era assim até anoitecer quando todos novamente já estavam dormindo. O Cardeal Português, José Saraiva Martins, descreve o Papa como “o enamorado de Cristo”, e conta da maneira como ele se desligava de tudo quando estava em sua capela, era como se existisse somente ele e Deus.

Certo dia, um de seus secretários, o Pe. John Magee, ao procurar João Paulo em seu quarto e na capela, não o encontrou. Pediram então que procurasse melhor na capela. Ao retornar no local, o Papa estava sim na capela, prostrado no chão, em adoração ao Santíssimo Sacramento.

Seu professor de português, um brasileiro, Dom Fernando Guimarães, lembra das missas que participou em sua capela particular. Eram apenas seis ou sete freiras brasileiras, quatro freiras polonesas que cuidavam do apartamento papal e os dois padres secretários. Ele conta que quando chegavam de manhã na capela, o Papa já estava ajoelhado diante do sacrário, completamente absorvido pela presença de Deus e essa absorção continuava durante toda a celebração. Dom Fernando diz que sempre tinha a impressão de ver um homem em diálogo com Deus o tempo inteiro da Missa.

Em entrevista para agência Zenit, o postulador da causa de canonização, Slawomir Oder, conta que em uma de suas últimas viagens, o Papa já estava doente e precisou ser arrastado até o seu quarto. No dia seguinte sua cama estava intacta, pois havia passado a noite em oração, de joelhos no chão. Para ele, a oração era tão importante que, nos últimos meses de vida, pediu um espaço no seu quarto para o Santíssimo Sacramento.

Fiel Pelicano

FRASES SÃO JOÃO PAULO II

SOBRE A EUCARISTIA

“A celebração da Eucaristia não é só o dever mais sagrado, mas, sobretudo, a necessidade mais profunda da alma”.

“Esse pão é Jesus”.

“Para viver na Eucaristia, deve se deter em adoração. Experiência que eu mesmo faço todos os dias, trazendo força, consolação e sustento”.

Peçamos a intercessão de São João Paulo II, para que assim como ele possamos ser verdadeiros adoradores de Jesus Eucarístico.

São João Paulo II, rogai por nós!

http://fielpelicano.com.br

Fiel Pelicano

No final de sua vida, um presente ele nos deu!

Vamos todos louvar juntos o mistério de amor
Pois o preço deste mundo foi o sangue redentor
Recebido de Maria, que nos deu o Salvador

Veio ao mundo por Maria, foi por nós que ele nasceu
Ensinou sua doutrina, com os homens conviveu
No final de sua vida, um presente ele nos deu

Observando a Lei Mosaica, se reuniu com os irmãos
Era noite. Despedida. Numa ceia: refeição
Deu-se aos doze em alimento, pelas suas próprias mãos

A Palavra do Deus vivo transformou o vinho e o pão
No seu sangue e no seu corpo, para a nossa salvação
O milagre nós não vemos, basta a fé no coração

Tão sublime sacramento adoremos neste altar
Pois o antigo testamento deu ao novo seu lugar
Venha a fé por suplemento os sentidos completar

Ao Eterno Pai cantemos e a Jesus, o Salvador
Ao Espírito exaltemos, na Trindade, eterno amor
Ao Deus Uno e Trino demos a alegria do louvor 

SESSÃO SANTIDADE

Recomendo este filme, a todos os católicos…

Porem…peço para rezar antes de assistir…

Para que o Espirito Santo, deixe seu coração atento,

a cada sinal, a cada detalhe e revelação.

Quem assiste este filme com o coração aberto,

com certeza, vai amar a santa missa,

e reconhecer Jesus na santa Eucaristia!

(Sol)

Anúncios

Agradeço sua visita. Deus seja louvado por sua vida!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s