Arquivo do dia: 02/05/2017

O Pão do Céu, És Tu Jesus. Via de amor, nos transformas em Ti. Não, Tu não deixaste fria a terra, Tu permaneceste entre nós.

Catecismo da Igreja Católica

P.10.6 Cristo Palavra de Deus

§65 “Muitas vezes e de modos diversos falou Deus, outrora, aos pais pelos profetas; agora, nestes dias que são os últimos, falou-nos por meio do Filho” (Hb 1,1-2). Cristo, o Filho de Deus feito homem, é a Palavra única, perfeita e insuperável do Pai. Nele o Pai disse tudo, e não há outra palavra senão esta.

São João da Cruz, depois de tantos outros, exprime isto de maneira luminosa, comentando Hb 1,1-2:

Porque em dar-nos, como nos deu, seu Filho, que é sua Palavra única (e outra não há), tudo nos falou de uma só vez nessa única Palavra, e nada mais tem a falar, (…) pois o que antes falava por partes aos profetas agora nos revelou inteiramente, dando-nos o Tudo que é seu Filho. Se atualmente, portanto, alguém quisesse interrogar a Deus, pedindo-lhe alguma visão ou revelação, não só cairia numa insensatez, mas ofenderia muito a Deus por não dirigir os olhares unicamente para Cristo sem querer outra coisa ou novidade alguma.

§101 Na condescendência de sua bondade, Deus, para revelar-se aos homens, fala-lhes em palavras humanas: Com efeito, as palavras de Deus, expressas por línguas humanas, fizeram-se semelhantes à linguagem humana, tal como outrora o Verbo do Pai Eterno, havendo assumido a carne da fraqueza humana, se fez semelhante aos homens”.

§102 Por meio de todas as palavras da Sagrada Escritura, Deus pronuncia uma só Palavra, seu Verbo único, no qual se expressa por inteiro:

“Lembrai-vos que é uma mesma a Palavra de Deus que está presente em todas as Escrituras, que é um mesmo Verbo que ressoa na boca de todos os escritores sagrados; ele que, sendo no início Deus junto de Deus, não tem necessidade de sílabas, por não estar submetido ao tempo.”

§103 Por este motivo, a Igreja sempre venerou as divinas Escrituras, como venera também o Corpo do Senhor. Ela não cessa de apresentar aos fiéis o Pão da vida tomado da Mesa da Palavra de Deus e do Corpo de Cristo.

§104 Na Sagrada Escritura, a Igreja encontra incessantemente seu alimento e sua força, pois nela não acolhe somente uma palavra humana, mas o que ela é realmente: a Palavra de Deus “Com efeito, nos Livros Sagrados o Pai que está nos céus vem carinhosamente ao encontro de seus filhos e com eles fala”.

http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/p/palavra.html

 

Evangelho segundo S. João 6,30-35.


Naquele tempo, disse a multidão a Jesus: «Que milagres fazes Tu, para que nós vejamos e acreditemos em Ti? Que obra realizas?
No deserto os nossos pais comeram o maná, conforme está escrito: ‘Deu-lhes a comer um pão que veio do Céu’».
Jesus respondeu-lhes: «Em verdade, em verdade vos digo: Não foi Moisés que vos deu o pão do Céu; meu Pai é que vos dá o verdadeiro pão do Céu.
O pão de Deus é o que desce do Céu para dar a vida ao mundo».
Disseram-Lhe eles: «Senhor, dá-nos sempre desse pão».
Jesus respondeu-lhes: «Eu sou o pão da vida: quem vem a Mim nunca mais terá fome, quem acredita em Mim nunca mais terá sede».

Palavra da salvação.

 

O pão da vida

Ao identificar-se no Evangelho de hoje com o “pão da vida”, Cristo não está se referindo nem à vida biológica do corpo, nem à vida que têm as almas humanas por si mesmas. Refere-se o Senhor à verdadeira vida (ζωή), isto é, à vida sobrenatural, que a graça divina faz circular em nós. Além da clara referência à Eucaristia, essa passagem de São João contém um importante ensinamento para o nosso crescimento na caridade. Pelo Batismo, recebemos de Deus, em estado ainda latente, um organismo espiritual que, enquanto tal, precisa desenvolver-se e ser devidamente alimentado; temos, pois, uma pequenina semente de vida eterna que, como toda semente, tem de ser regada com esmero e constância.

E o nosso alimento não é outro senão o próprio Jesus — do qual nos nutrimos não apenas na Eucaristia, mas também em cada ato de fé sincero e fervoroso que, com o seu auxílio, conseguimos dirigir-lhe. Por isso, ao recebermos o Corpo de Cristo, devemos sempre, cada dia com mais amor e intensidade, fazer um profundo ato de fé na sua presença real, no seu poder, no influxo de sua vida divina em nosso pobre e chagado coração. Ali, somos tocados como aqueles tantos pecadores que o Senhor, durante sua vida terrena, pôde tocar e curar, abençoar e limpar. — “Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede”. Mas peçamos a Jesus que, satisfazendo o nosso desejo de Deus, nos dê ainda mais fome e mais sede por Ele, o único que pode saciar-nos o coração!

https://padrepauloricardo.org

Começando o dia…meditando este evangelho tão lindo!
“Eu sou o pão da vida!”
João 6,35.

Cristo levou sobre si as nossas dores
Ele levou sobre si as nossas transgressões
O castigo que nos traz a paz estava
Sobre ele, E por suas chagas fomos sarados.

Ele tomou sobre si as nossas maldições
Ele sofreu para que tivéssemos perdão
O seu sangue derramou
Para nos resgatar das trevas
E nos lavar de toda a iniquidade.

Jesus, Pão da vida, Jesus, Luz do mundo
Príncipe da paz, maravilhoso conselheiro
Fonte de eternidade e amor
Jesus, Deus Emanuel, Jesus Santo dos santos
Árvore da vida, rio que brota do trono de
Deus; Alegria profunda do meu coração
Recebe a adoração
Jesus, és digno de louvor.

 

«É o meu Pai quem vos dá o verdadeiro pão do Céu»

Deus, cuja natureza é bondade e cuja substância é amor, em quem toda a vida é benevolência, querendo mostrar-nos a doçura da sua natureza e a ternura que tem pelos seus filhos, enviou ao mundo o seu Filho, o Pão dos Anjos (Sl 78,25), «pelo amor imenso com que nos amou» (Ef 2,4). Pois «tanto amou Deus o mundo, que lhe entregou o seu Filho Unigénito» (Jo 3,16).

Tal é o maná verdadeiro que o Senhor fez chover para que o comêssemos […], o que Deus, na sua bondade, preparou para os seus pobres (cf Sl 68,9ss). Pois Cristo, que veio para todos os homens e desceu até ao nível de cada um, tudo atrai a Si pela sua indizível bondade; a ninguém rejeita e admite todos os homens à penitência, tendo para todos os que O recebem um sabor delicioso. Só Ele basta para cumular todos os desejos […] e adapta-Se de modo diferente a uns e outros, segundo as tendências, os desejos e os apetites de cada um. […]

Cada um experimenta nele um sabor diferente. […] Pois Ele não tem o mesmo sabor para o penitente e o principiante, para aquele que caminha e para aquele que está a chegar à meta. Ele não tem o mesmo gosto na vida activa e na vida contemplativa, para aquele que se serve do mundo e para aquele que não o faz, para o celibatário e para o homem casado, para o que jejua e faz distinção dos dias e para aquele que os considera a todos iguais (cf Rom 14,5). […] Este maná tem um doce sabor, porque liberta das preocupações, cura as doenças, adoça as provações, secunda os esforços e reafirma a esperança. […] Aqueles que o provaram continuam com fome (cf Ecl 24,29); os que têm fome serão saciados.

Balduíno de Ford (?-c. 1190), abade cisterciense, depois bispo
O sacramento do altar III, 2; PL 204, 768-769

http://evangelhoquotidiano.org

 

O Pão do Céu, És Tu Jesus.
Via de amor, nos transformas em Ti.

Não, Tu não deixaste fria a terra,
Tu permaneceste entre nós
Nos alimenta de Ti
És o Pão da Vida,
Inflamas com o Teu amor
Toda a Humanidade.

Sim, trouxeste o céu sobre esta terra,
Tu permaneceste entre nós,
E nos leva contigo
A Tua casa
Onde estaremos junto a Ti
Toda a Eternidade.

Não, a morte não pode nos causar medo,
Tu permaneceste entre nós,
E quem vive de Ti
Vive para sempre
Deus entre nós, Deus para nós
Deus em meio a nós.

Não, Tu não deixaste fria a terra,Tu permaneceste entre nós!
“Jesus Eucarístico, a verdadeira alegria!”

(Sol)

 

 

Eu sou o pão, da vida o pão do céu
Eu sou o Rei dos Reis, o Salvador
Eu sou o Cristo, o filho do Deus Vivo
Me dei por vós só por amor

Este é meu corpo toma e comei
Este é meu sangue
Toma e bebei
Revesti-vos de minha força
Estejais em mim
Eis que estou convosco até o fim

Eu venci o mundo, vos livrei do mal
Tomei vossos pecados, deixei lá na cruz
Vos livrei,
Da morte tomei vossa dor
Venha, tenha coragem, eu sou o Senhor

Este é meu corpo toma e comei
Este é meu sangue
Toma e bebei
Revesti-vos de minha força
Estejais em mim
Eis que estou convosco até o fim

Eis que estou convosco até o fim!
“Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos.”

(Mt 28,20)

Como não acreditar que estas aqui?

Jesus

pão da vida

olha pra mim,

cura-me!

“Eu sou o Pão da Vida”

PADRES DA IGREJA

Santo Ambrósio: «É admirável que Deus tenha feito chover o maná para nossos pais e que se tenham saciado cada dia com pão do céu. É porque foi dito: “O homem comeu o pão dos anjos” (Sal 77, 25). Entretanto todos os que comeram deste pão no deserto morreram. E pelo contrário, este alimento que você recebe, este pão vivo baixado do céu, dá o alimento da vida eterna, e quem quer que o coma não morrerá jamais. É o Corpo de Cristo…

»Aquele maná era do céu, este de mais acima dos céus; aquele era um dom do céu, este é do Senhor dos céus; aquele estava sujeito à corrupção se era guardado até o dia seguinte, este não conhece a corrupção. Para os hebreus a água brotou da rocha, para ti o sangue brota de Cristo. A água lhes acalmou a sede por um momento, a ti o sangue lava para sempre. Os hebreus beberam e continuaram tendo sede. Tu, uma vez que tenhas bebido, já nunca mais terá sede (Jo 4, 14). Aquilo era a prefiguração, esta é a verdade plena…

»Era “sombra do que devia vir” (Col 2, 17). Escuta isso que se manifestou a nossos pais: “No deserto beberam da mesma bebida espiritual; e essa pedra era Cristo.” (1 Cor 10, 4)… Tu conheceste a realização, viste a plena luz, a verdade prefigurada, o Corpo do Criador melhor que o maná do céu.»

São Pedro Crisólogo: «Cristo mesmo é o pão que, semeado na Virgem, florescido na Carne, amassado na Paixão, cozido no Forno do sepulcro, reservado na Igreja, levado aos altares, fornece cada dia aos fiéis um alimento celestial».

Santo Agostinho: «A Eucaristia é nosso pão cotidiano. A virtude própria deste divino alimento é uma força de união: une-nos ao Corpo do Salvador e faz de nós seus membros para que devamos ser o que recebemos (…). Este pão cotidiano se encontra, além disso, nas leituras que se ouvem cada dia na igreja, nos hinos que se cantam e que vós cantais. Tudo isso é necessário em nossa peregrinação».

São Justino: «Porque este pão e este vinho foram, segundo a expressão antiga “eucaristizados”, “chamamos este alimento Eucaristia e ninguém pode tomar parte nele se não acreditar na verdade do que se ensina entre nós, se não tiver recebido o banho para o perdão dos pecados e o novo nascimento, e se não viver segundo os preceitos de Cristo”».

http://www.vidacrista.org.br

 

 

Via sacra todo dia!!!

Por esquecemos tão fácil do seu amor e sacrifício

Por que os dias  tem passado rapidamente

E a agitação esfria e cega o nosso inconstante coração

Porque é mais fácil olhar pra nós mesmos

e para as nossas frequentes queixas…

e ficarmos a murmurar nossas desilusões e dores…

Nossas dores parecem enormes quando nos esquecemos das dele!

Por isso, necessitamos rever frequentemente

a via-sacra do amor eloquente!

FOI POR MIM, FOI POR VOCÊ!

O amor perfeito que perdura eternamente!

(Sol)

Jesus, o amor perfeito!

(Sol)

Anúncios